abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapelocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewprofilerefreshnewssearchsecurityPathtagticktooltiptwitteruniversalityweb

This page is not available in English and is being displayed in Portuguese

Article

Brasil: Governo planeja ampliar hidrovia na Amazônia, afetando populações ribeirinhas e fauna da região

“Para ampliar hidrovia na Amazônia, governo planeja dinamitar habitat de botos e tartarugas”, 10 de Agosto de 2020

O governo federal planeja escavar e dragar milhões de metros cúbicos de rochas e areia do Rio Tocantins no Pará – inclusive no delicado ecossistema conhecido como Pedral do Lourenço, habitat de espécies endêmicas de peixe. Para reduzir custos, a DTA Engenharia pretende despejar mais de 5,6 milhões de metros cúbicos de areia nas margens do Rio Tocantins, onde tartarugas depositam seus ovos. O boto-do-araguaia também sofrerá o impacto da hidrovia. O Ibama identificou dezenas de erros nos relatórios de impacto ambiental da empresa, que ignoraram peixes ameaçados, o habitat rochoso específico do rio e as tartarugas. A DTA terá de refazer os estudos.

...O projeto aprofundará o leito do Rio Tocantins para permitir o transporte rápido de soja e minérios para a China e a Europa. Além de ameaçar a subsistência de populações ribeirinhas, com implosão de áreas de pesca, a obra vai afetar praias fluviais onde tartarugas amazônicas depositam seus ovos. O boto-do-araguaia (Inia araguaiaensis), uma espécie ameaçada, também sofrerá o impacto da hidrovia, assim como espécies endêmicas de peixe...