abusesaffiliationarrow-downarrow-leftarrow-rightarrow-upattack-typeburgerchevron-downchevron-leftchevron-rightchevron-upClock iconclosedeletedevelopment-povertydiscriminationdollardownloademailenvironmentexternal-linkfacebookfiltergenderglobegroupshealthC4067174-3DD9-4B9E-AD64-284FDAAE6338@1xinformation-outlineinformationinstagraminvestment-trade-globalisationissueslabourlanguagesShapeCombined Shapeline, chart, up, arrow, graphlocationmap-pinminusnewsorganisationotheroverviewpluspreviewArtboard 185profilerefreshIconnewssearchsecurityPathStock downStock steadyStock uptagticktooltiptwitteruniversalityweb
Artigo

13 Jan 2022

Author:
g1

Brasil: Carta pública cobra agilidade nas investigações do assassinato de família de ambientalistas no Pará

“Carta pública cobra agilidade nas investigações do assassinato de família de ambientalistas no Pará”, 13 de janeiro de 2022

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) e a Sociedade Paraense de Direitos Humanos (SDDH) divulgaram nesta quinta-feira (13) uma carta pública, também assinada por outras organizações, cobrando agilidade nas investigações de um triplo homicídio em São Félix do Xingu, sudeste do Pará, no último domingo...

Segundo a nota, os conflitos resultam em assassinatos de lideranças, chacinas e trabalho escravo. Dados da CPT apontam que, nas últimas quatro décadas, 62 trabalhadores rurais e lideranças foram assassinados no município em conflitos pela posse da terra. Apenas no estado do Pará, nas últimas quatro décadas, a CPT registrou 29 massacres com 152 vítimas. No mesmo período, 75 lideranças foram assassinadas no sul e sudeste do estado. De acordo com a CPT, em nenhum dos casos houve julgamento pelos crimes, registrando taxa de 100% de impunidade.

Em relação ao caso recente em São Félix do Xingu, a nota afirma que não se sabe "se o crime tem motivação agrária" e que "caberá à Polícia do Pará esclarecer as reais motivações da chacina"...

Linha do tempo